segunda-feira, 9 de outubro de 2017

CEJER - Colégio Estadual José Elias da Rocha. Resgate de uma História.

O CEJER - Colégio Estadual José Elias da Rocha fica no Bairro de Olarias em Ponta Grossa no Paraná na Rua Ricardo Wagner.
Hoje faz um trabalho de resgate histórico do Bairro e de Pessoas e fatos relevantes para a História.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

Neste primeiro momento fora convidados para contar um pouco de sua História os Artistas Marcelo Schimaneski e Celso Parubocz.


CONHEÇA NOSSOS ARTISTAS - 




MARCELO SCHIMANESKI



video




Marcelo Schimaneski reside em Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

É um dos destaques no segmento das artes visuais nos últimos anos com suas obras em estilo naïf retratando nossa cidade, cenas de sua infância em chacaras e na região de Olarias onde morou. Em 1989 foi vítima de um acidente de automóvel sofreu lesão na coluna cervical e em várias vértebras ficando com limitações do pescoço para baixo, depois de tratamentos intensivos e fisioterapia diária recuperou o movimento dos braços e mãos,  dedicando-se à pintura Estilo NAÏF. Sua pintura é alegre, utiliza-se de cores fortes e sua técnica é óleo sobre tela. Foi premiado em diversos Salões de Artes dos quais destacamos a Bienal Naïf de Piracicaba, maior Bienal no Estilo Naïf, sua obra foi prêmio entre mais de 1200 participantes de todo Mundo.
Óleo s/Tela 40x50 -  Casa da Vó  do  Celso


A saber: “Arte naïf ou arte primitiva moderna é, em termos gerais, a arte que é produzida por artistas sem preparação académica na arte que executam (o que não implica que a qualidade das suas obras seja inferior). Caracteriza-se, em termos gerais, pela simplicidade e pela falta de alguns elementos ou qualidades presentes na arte produzida por artistas com formação nessa área.”
Óleo s/Tela 50x70 - Vila Cachoeira



Marcelo Schimaneski


Rua Aviador Flare Batista 788
Olaria – Ponta Grossa
CEP 84035-020
Fone. (42) 3223-0732 ou Celular (42) 8425 5827
Oleo s/Tela 40x50 - Casa da Vó Dica

Participou das seguintes exposições:

• Exposição Individual Caixa Econômica
• Exposição Coletiva na Proex
• Exposição individual Sesc Ponta Grossa
• III Mostra – Câmara Municipal – Ponta Grossa – 2005
• III Mostra – Estação Arte – Ponta Grossa
• III Mostra – da Unimed – 2006 - 4º lugar
• IV Mostra – Câmara Municipal – Ponta Grossa – 2006 – Prêmio Aquisição – Kaiser
• Uma obra selecionada na Bienal Naifs –  Sesc – Piracicaba – 2006
• Uma exposição individual na Câmara Municipal – Ponta Grossa
• IV Mostra dos Campos Gerais – 1º lugar
• V Mostra Câmara Municipal- Ponta Grossa -2007 –Premio Aquisição – Kasasala
• IV Mostra –da Unimed – 2007
• Premio João Pilarski 2007
• Premio de Arte Natalina 2007 – 1° lugar
• Salão de Arte Ponta Grossa 2008 – 2°lugar
• Exposição Coletiva Sesc Ponta Grossa 2008 
• Premiado na Bienal Naifs 2008, e outra obra selecionada
• Exposição tropeiros 2008 1° Lugar
• 4° Salão Popular de Artes Visuais de Castro 2008
• Exposição da Primavera 2008 1° lugar (voto popular)
• Salão de Artes de Santa Bárbara d'Oeste 2008
Vl Mostra da Câmara Municipal - Ponta Grossa 2008
• Exposição Coletiva no Guairá 2008
• Salão de Arte Plásticas de Ponta Grossa – 2009  3° lugar
• Salão de Arte Plástica Graciosa 2009
• Salão Mostra Regional de Artes Visuais 2009 Ponta Grossa Pr.
• Salão Unimed de Ponta Grossa 2009
• Exposição de Inverno 2009.      
• 5º.Salão Popular de Arte Visuais de Castro 2009 –Menção Honrosa.
• Salão de Arte Graciosa- 2010
• Bienal Naifs –Sesc Piracicaba-2010
• 6º Salão Popular de Castro 2010- 2 Menções Honrosa
• Exposição Arte na Industria - SESI- Ponta Grossa- individual
• Exposição Tropeiros 2010  Castro – coletiva
• Salão de Arte Plásticas de Ponta Grossa- 2011 – Prêmio Aquisição.




Celso Parubocz, 





Resultado de imagem para Celso Parubocz

natural do Bairro de Olarias na Cidade de Ponta Grossa, Paraná.
Formação: Bacharelado em Educação Física - Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, Cursos de Extensão Universitária em História da Arte - Universidade Católica do Paraná, Curitiba e Pós-Graduado em Poéticas Contemporâneas no Ensino da Arte - Universidade Tuiti - Curitiba, Arteterapia - ITCNE 
Possui vários cursos, que incluem: Desenho com o artista Professor Sidney Mariano Ponta Grossa, workshops com artistas e críticos de Arte: Paulo Pasta, Ronaldo Brito, Paulo Herkenholff, Nuno Ramos no Museu Metropolitano de Curitiba. Faz orientações no Centro de Arte Contemporânea Edilson Viriato, Curitiba, Paraná.
Participou de várias exposições das quais destacamos:
150 anos, Museu Paranaense, Curitiba - Paraná
Casa da Cultura - Artistas Workshop Arte Livre, Edilson Viriato Blumenau - Santa Catarina
Possibilidades de 40 x 40 - Galeria de Arte da Cidade, Franca - São Paulo
Book Art Exhibition "- Solar do Barão, Curitiba - Paraná
Exposição "Brasil - Japão - 100 anos da imigração" Espaço Cultural da Câmara Municipal de Ponta Grossa Paraná
Exposição "25 anos da APPA - Associação Profissional de Artistas do Paraná, Memorial da cidade de Curitiba, Paraná.
Exposição Coletiva Internacional - Galeria Casa Brasil - Madrid - Espanha
Exposição Espaço Franz Krajcberg - Curitiba - Paraná
Exposição Coletiva "Urbanos" COHAPAR - Casa dos Artistas - Curitiba - Paraná
Exposição Colectiva "22 Artistas Contemporâneos" – Estação Cabo Branco - João Pessoa Paraiba
Exposição e lançamento do Catálogo de Artes Chico Lisboa - Museu de Artes do Rio Grande do Sul.
Exposição Faces - International Exchange Vancouver - Canadá.

Exposição Cuarta Muestra Iberoamericana - San Pedro México.Resultado de imagem para Celso Parubocz

Recebeu os seguintes prêmios:
Instituto Duque de Caxias - Ponta Grossa - Paraná. "Mérito Cultural"
Fundação Cultural de Ponta Grossa - Paraná. Prémio de Mérito Cultural.
Exposição Ciganos - Proex - Universidade Estadual de Ponta Grossa – Paraná – 4º lugar.
Salão Paranaense de Arte, Secretário de Estado da Cultura, Jaguariaíva - Paraná. "Menção Honrosa"
Publicação de fotos digitais - Sul Telelistas Paraná - Paraná.
Salão Paranaense de Arte, Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, Castro -. "Sala de Referência"
Universidade Estadual de Ponta Grossa - Paraná. "Menção Honrosa"
Prêmio Don Quixote – Área de artes, Rotary Club de Ponta Grossa - Paraná
Menção Honrosa do Rotary Club - Ponta Grossa - Paraná
Salão Paranaense de Artes - Secretaria de Estado da Cultura - Paraná. Prêmio Aquisição.
Sociedade Nacional de Artes Ciências e Letras, França - Medalha de Prata - Paris, França.
Prêmio Mostra Paranaense -Ponta Grossa - Paraná.
Resultado de imagem para Celso Parubocz
Participação Salões de Artes:
Graciosa Country Club - Curitiba - Paraná.
Salão de Arte Popular de Castro - Castro - Paraná.
Jacarezinho - Paraná.
Unicentro - Guarapuava - Paraná.
Câmara Municipal de Curitiba.
Vinhedo - São Paulo.
Araras - São Paulo
Guarulhos - São Paulo
Limeira - São Paulo
Ceuta - Espanha

San Pedro - México 
SNBA – Museu do L
ouvre - Paris
Resultado de imagem para Celso Parubocz

TRAJETÓRIA ARTÍSTICA

Presidente do Centro Cultural Professor Faris Michaele - Ponta Grossa – Paraná
Curador do Projeto "Descobrindo Novos Talentos - Unimed Ponta Grossa.
Assessor de Artes Visuais da Secretaria Municipal da Cultura e Turismo de Ponta Grossa - Paraná
Curador do Espaço Cultural da Câmara Municipal - Ponta Grossa, Paraná.
Diretor de APAP - Associação Profissional dos Artistas Visual do Paraná
Presidente da APAC - Associação Pontagrossense de Artistas Contemporâneos.
Resultado de imagem para Celso Parubocz

Possui Estúdio de Arte próprio, faz parte do satff de artistas da Galeria Manolo Saez e da Saatchi Gallery of Contemporary Art, em Londres e representação em Paris através de escritório de Arte da Divine Productions.

Celso Parubocz
cparubocz@ig.com.br
Telefone (42) 999625952


Resultado de imagem para Celso Parubocz


Segue um pouco da História do CEJER:

A TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO COLÉGIO ESTADUAL JOSÉ ELIAS DA ROCHA Aderlane Priscila Safonoff Diniz Lurdes Paulouski Maria Carolina Karpinski Patrícia Bobek Profª Dra Maria Isabel Nascimento Universidade Estadual de PontaGrossa – UEPG. Introdução O hoje chamado Colégio Estadual José Elias da Rocha Ensino Fundamental e Médio foi fundado em 1º de março de 1944, na gestão do Senhor Albary Guimarães, pertencia a Prefeitura Municipal, e no mesmo ano passou a Jurisdição do Estado do Paraná, pelo Decreto Lei número 6. Outros nomes ou títulos e Patrono atual: • Grupo Escolar de Olarias – até 1955 • Grupo Escolar Professor José Elias da Rocha – de 1956 a 1975 • Escola Professor José Elias da Rocha – de 1976 a 1977 • Escola Professor José Elias da Rocha Ensino 1º Grau Regular – de 1978 a 1982 • Escola Estadual Professor José Elias da Rocha – Ensino 1º e 2º Grau Regular – de 1991 a 1996 • Colégio Estadual José Elias da Rocha – Ensino 1º Grau Regular – de 1997 a 1998 • Colégio Estadual José Elias da Rocha Ensino Fundamental e Médio – a partir de 1999. A Instituição foi fundada em um bairro onde havia muitas Olarias ( hoje inexistentes), e por isso a princípio chamou-se Grupo de Olarias, e foi construída com o objetivo de servir a população local, já que o bairro possuía inúmeras casas. Tomando como Patrono em 1956, o Professor José Elias da Rocha. O grande mestre nasceu dia 14 de fevereiro de 1859 em Itapetininga – São Paulo, e faleceu no dia12 de agosto de 1931 em Ponta Grossa – Paraná. Filho de José Elias da Rocha e Maria Joaquina da Rocha, ele passou a idade escolar em Curitiba, onde mais tarde tornou-se Professor. Lecionou em Campo Largo, Colônia Marienthal e na Lapa, onde casou-se com Francisca Vitalina de Faria com quem teve filhos.Mais tarde mudou-se para Curitiba e lá lecionou até se aposentar, até que passou a morar em Ponta Grossa. Curiosamente, o Professor José Elias da Rocha era avô do primeiro Reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, o Professor Álvaro Augusto Cunha Rocha. Porém o mestre não manteve vínculo com a Instituição já que a mesma foi fundada anos após a sua morte. Momento Histórico A Instituição surge em um momento histórico muito importante: alguns meses antes do fim da II Guerra Mundial. O Brasil participou desse processo enviando forças da FAB e da FEB que lutaram contra o Fascismo e o Nazismo. Essas, quando retornaram ao Brasil, ajudaram a provocar a queda de Getúlio Vargas do poder, que se viu obrigado a renunciar devido a pressão das forças armadas e do povo, cada vez mais adepto as idéias liberais, sendo dissolvido então o Estado Novo. No lugar de Vargas assumiu o Ministro do Supremo Tribunal Federal José Linhares, que garantiu a realização das eleições, que foram vencidas por Eurico Gaspar Dutra, que assumiu o poder em 1946, restituindo o direito a liberdade de pensamento e expressão, extintos na época de Getúlio. Talvez não se saiba muito sobre as primeiras turmas da Instituições devido sua fundação ter ocorrido num momento de muito transtorno. Arquitetura O Colégio possui hoje dois prédios. A princípio era somente um, depois dois e posteriormente três. O terceiro prédio deixou de pertencer ao Estado no fim do mandato da ex Diretora Maria Aparecida dos Anjos, passando ao município como Clínica de Deficientes Auditivos. As primeiras plantas desapareceram e sobre elas não há informação na Instituição, e nem mesmo a Prefeitura Municipal sabe informar o Engenheiro que as planejou. Também não se sabe quem era o dono do terreno antes de passar a pertencer ao Município, e nem quando e quanto tempo os prédios levaram para serem construídos. Uma nova planta baixa foi desenhada pela Engenheira Civil Rosangela Aparecida Tozzeto Carvalho ( CREA 12983) para a reforma realizada em 1998. Essa reforma visava ajustes que mantivessem a arquitetura original, sendo feitas pinturas e consertos em geral, algumas mudanças nos arredores dos prédios que continuam sendo os mesmos desde a fundação, tendo sido trocadas suas janelas de madeira por outras do mesmo modelo porém de ferro. Outra reforma foi realizada no início de 2005 e da mesma maneira a arquitetura foi mantida. Localização Sabe-se que a região onde a Instituição foi construída era um tanto quanto desenvolvida,devido a existência de Olarias e outras Indústrias, além da estrada de Ferro, construída em 1894, na rua Ermelino de Leão – muito próxima do Colégio – que forçou o crescimento em suas proximidades devido a sua importância e trouxe progresso a cidade como um todo já que é aí que os lampiões e as velas cedem lugar a eletricidade vinda da Usina, instalado na mesma rua da ferrovia. Atualmente o Colégio situa-se próximo ao posto de saúde, indústrias e inúmeros pontos comerciais, e a Usina do Conhecimento que pertence ao Estado e oferece inúmeros cursos gratuitos e população, inclusive aos próprios alunos. Sito a Rua Ricardo Wagner, nº167, no bairro de Olarias, fone:3224- 1451. Clientela Hoje, além dos alunos oriundos do próprio bairro, a clientela é também vinda da Vila Coronel Cláudio, Vila Santana, Jardim Barreto e Jardim Europa, mas sem ter mudado o poder aquisitivo das classes a que serve sendo desde a fundação de predominância da classe baixa. Primeiro Corpo Docente era composto por: • Maria de Lourdes Almeida • Estanislau Petrochinski • Ary Martins • Aracy Guimarães • Irene Lass • América Andrade. Relação dos Diretores: • Professor Ari Martins 1944 a 1945 – 1946 a 1948 • Professora Ruth Holzmann Ribas 1945 a 1946 • Professor Estanislau Pietrochiski 1948 a 1949 • Professora Maria de Lourdes de Strozzi 1949 a 1951 • Professora Myrtis de Almeida Rosa 1951 a 1968 • Professora Clarinda Barbosa Serman 1968 a 1983 • Professora Maria Luiza Nadal 1983 a 1987 • Professora Maria da Graça Frande Minini - Professora Vera Kalinoski – Diretora Auxiliar - 1988 a 1995 • Professor Mário Diórgenis Canteri - Professora Claribel Canteri – Diretora Auxiliar - 1996 a 2000 -Professor Waldir Uller – Diretor Auxiliar -2001 • Professora Maria Aparecida dos Anjos -Professor Paulo Ribeiro – Diretor Auxiliar - 2002 a 2003 • Professor Mário Diórgenis Canteri 2004 a 2005 Biografia do primeiro Diretor: Ary Martins Atuou como diretor na Instituição de 1º de fevereiro de 1944 a 08 de agosto de 1945 e 12 de fevereiro de 1946 a 24 de maio de 1948. Tendo sido: professores normalistas, jornalistas do Diário dos Campos (1944), Diretor do Grupo Escolar General Ozório (1945), Redator do Jornal do Paraná (1946), Redator do Jornal Diário dos Campos (1947-1948), Inspetor Auxiliar de Ensino (1948), Jornalista do Jornal O Dia ( 1948-1951), Redator de publicidade da Comissão Estadual de Educação de Adultos da SEC (1949- 1951), Secretário da Associação dos Servidores Públicos do Paraná (1949), Delegado de Ensino (1951), Redator da Revista Educação – órgão oficial da SEC (1951), Redator do Jornal O Estado do Paraná (1951-1953), Diretor de Redação do “Paraná Jornal” Londrina (1951), Redator do Interior e Justiça (1952), Redator de Publicidade do Gabinete da SEC (1953), Assistente Técnico (1954), Diretor Geral de Assessoria Técnica de Ensino – SEC (1954), Oficial de Gabinete da SEC (1954-1955), Oficial de Gabinete da Secretaria do Interior de Justiça (1955-1956), Técnico de Planejamento da Comissão de Plano de Desenvolvimento Econômico do Estado (1958-1966), Advogado (1961-1963), Advogado do Estado (1954). Materiais A Instituição possui diversos materiais como foto copiadora, microcomputadores, maquina de escrever, mapas , globos terrestres, livros, retro projetores, aparelho de som, televisores, vídeos, materiais para Educação Física e para Laboratório de Ciências. Atualmente o Colégio conta com: Diretor e vice, professores, auxiliares de serviços gerais, auxiliares de serviços administrativos, pedagogo, bibliotecária, merendeiras, supervisores e orientadores. Situação Escolar Sobre a situação escolar sabe-se que até 1992 o ensino de 1º e 4º série foi aprovado pela lei 4.024/61, as 5º séries nos anos de 1966, 1967, 1969, 1970 e 1971 foram invalidadas e não forneceram histórico aos alunos, a 5º série foi convalidada em 1972 pelo parecer nº. 148/72. E em 23/12/1975 houve a real autorização de funcionamento de Estabelecimento pelo Decreto 1406/75. em 05/09/1987, com Resolução nº.3887/87, foi autorizado a funcionar o Centro de Atendimento para Deficientes Visuais, e pela Resolução nº.167/91, de 03/08/1991, foi autorizado a funcionar a classe especial para deficientes mentais, ambos não são mais ofertados e não se sabe a data em que o deixaram de ser. A autorização para o funcionamento de ensino fundamental e médio ocorreu em 21/12/1989 com a Resolução nº.3242/89. Também foram oferecidas as Oficinas de Artes Industriais a partir de 1961 ( sem data do término) e a Clínica Odontológica do Bebê (sem a data do início) até 1998. em 1991, o Colégio ofertou os cursos de 1º a º séries do ensino fundamental, blocos reestruturados do ensino supletivo por blocos 1º, 2º, 3º, 4º e 5º bloco (1997/2000), 3º, 4º, 5º e 6º período de ensino fundamental (1999 em diante), ensino médio (1999 em diante). Atualmente o Colégio conta com o ensino fundamental ( 5º a 8º séries), médio e aula de alemão para os interessados. Contando com nove turmas pela manhã, onze a tarde e uma a noite, somando vinte e uma turmas e setecentos alunos. Nos próximos meses serão oferecidos Ensino Técnico em Segurança de Trabalho. Ainda é mantido o mesmo uniforme azul, vermelho e branco instituído desde o término do uso de guarda-pó


  Resgate de uma História. -  Aderlane Priscila Safonoff Diniz - Lurdes Paulouski - Maria Carolina Karpinski - Patrícia Bobek - Profª Dra Maria Isabel Nascimento Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG.