sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

PORTFÓLIO CELSO PARUBOCZ

Celso Parubocz

Artista Visual Contemporâneo, Curador, nasceu e vive em Ponta Grossa, onde é  proprietário do CREArte Centro de Referência e Ensino de Arte onde fica seu atelier e galeria de artes.




Filho de Nicolau Parubocz (Ucraniano) e Erinilda Carvalho Parubocz (Espanhol x Português e

 Bugre), possui dois irmão Marcos Parubocz,  Advogado casado com Mauricéia, Advogada e tem dois

 filhos Raissa, Médica e Bertran, estudande de Medicina e Marcelo Parubocz empresário e casado com

 Claudonice, advogada  empresária, pais de Ashley Nicolas estudante de Medicina.

Celso é formado em Licenciatura e Bacharelado em Educação Física, fez extensão universitária em História

 da Arte e pós- graduação em Poéticas Contemporâneas do Ensino de Arte e Arteterapia em andamento.

Utiliza em suas obras a técnica mista e acrílica sobre tela, seu estilo predominante é

 Contemporâneo e sua inspiração permeia por diversos temas do figurativo ao abstracionismo, 

criando Séries de trabalhos.



Destacamos a Série “Paisagens Contemporâneas” que teve uma de suas obras exposta no Salão

 Nacional de Belas Artes na Sala Le Notre no Museu do Louvre e outra da mesma Série foi prêmio

 na Mostra de Arte da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná.




Participou de centenas de exposições, Salões de Artes no Paraná, São Paulo e Santa Catarina,

 inúmeras Mostras Internacionais, das quais destacamos a Bienal Internacional de Artistas 

Contemporâneos em Barcelona onde sua obra recebeu Menção Honrosa.

É Membro das seguintes Instituições: APLA - Academia Ponta-grossense de Letras e Artes, do

 CCFP - Centro Cultural Faris Michaele onde foi Presidente, da Associação Ponta-grossense de

 Artistas Contemporâneos onde foi Presidente, da ACCur -  Academia de Cultura de Curitiba e da

 Sociedade Acadêmica de Letras e Artes da França onde recebeu a Comenda e Medalha de Prata

 pelo seu trabalho nas Artes Visuais.



Recebeu o Prêmio Dom Quixote pelo Rotary Clube Ponta Grossa pela sua relevante atuação no segmento

 de artes.

Lançou o livro “Celso Parubocz - 40 anos de Arte” na Fazenda Capão Alto em Castro, local tombado pelo

 IPHN, Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, também fez o lançamento com noite de autógrafos no

 Copacabana Palace Rio de Janeiro em evento  organizado pela Diviné Academia Francesa, e no Vila Velha

 Palace Hotel em Ponta Grossa, no livro o Artista conta um pouco de sua atuação na  Cultura local que

 passou pelo Teatro, Ballet, Carnaval, Folclore e Artes Visuais onde mostra uma

 parcela de sua produção nos segmentos de pintura, fotografia e escultura.

Seu trabalho já foi citado em diversos Jornais locais, revistas, programas de televisão, foi tema de trabalhos universitários na Universidade Estadual de Ponta Grossa e de diversas Escolas locais.

Realizou diversos projetos no segmento de Artes, entre eles: Salão de Artes da Unimed Ponta Grossa durante 8 anos, projeto Descobrindo Novos Talentos em parceria com a Secretaria Municipal de Educação onde mais de 1200 crianças tiveram aulas práticas e teóricas sobre Artes, projeto Fazer Arte não tem Idade com Idosos em Instituições de longa permanência onde eles pintavam e depois realizamos uma grande exposição no final do ano, este projeto já dura mais de 6 anos, projeto Educando com Arte com crianças da Instituição Pequeno Anjo e CMEis locais, projeto NAC Núcleo Avançado de Cultura junto a Fundação Cultural onde foi descentralizada a Cultura local criando pequenas sedes nos bairros onde era ensinado música, dança, teatro, artes com materiais recicláveis sem nenhu  custo para as comunidades.



Foi colunista cultural durante 5 anos do Jornal Diário da Manhã e apresentador do programa “Cultura na Tv” na Tv Vila Velha em Ponta Grossa.

Foi Assessor do Departamento de Artes Visuais da Fundação Cultural e Conselheiro eleito por duas vezes no segmento de Artes Visuais, foi fundador e primeiro Presidente da LIESA PG - Liga das Escolas de Samba de Ponta Grossa.

Como Curador criou o Espaço Cultural da Câmara organizando exposições todos os meses durante os últimos 20 anos, criou o Espaço Cultural da OAB – Ponta Grossa, Salão de Artes Permanente do CESCAGE e diversos espaços alternativos para exposições em Ponta Grossa.


Atualmente dedica-se a ministrar cursos de artes em seu Espaço Cultural o CREArte onde possui seu Atelier e uma Galeria para exposição e eventos culturais.





 

 

Exposição de obras do acervo do CREArte

 Olá amigos estamos com mais uma exposição montada na Galeria do CREArte Centro de Referência e Ensino de Arte em Ponta Grossa no Paraná.

O CREArte tem dois espaços para exposições no primeiro algumas obras de minha autoria e também algumas obras da Efigênia Rolin que fazem parte de nosso acervo e  e no segundo obras de diversos artistas, que também são do nosso acervo também.



Você pode acompanhar a exposição virtual aqui nesta postagem e pode agendar para visitar presencialmente pelo fone 42 99962 5952.

Todas as obras fazem parte do acervo particular do CREArte, desta vez Você pode apreciar obras dos seguintes Artistas:

Irineu Graciano – Cristo

Frei Leandro – São Gabriel

Marcelo Schimaneski – Casa Rosa

Léo Autuori – Don Quixote

Sidney Mariano – Pombinhas

Bernardo Pitangui - Símbolos

Marilene Zanchet – Mulheres de bar.

João Carneiro – Araucária

Lila Léa – Araucária

Beto Carlinhos - Dragão

Edilson Viriato – Taça 

Celso  –  Chaplin - Bico de pena

Werner Wrobel – azul, sem título

Erinilda Parubocz – Natureza morta

Edson Costa – Natureza morta

Alceu Rogoski – Fundo de Quintal

Ana Serafin – Abstrato

MAIS INFORMAÇÕES:







terça-feira, 7 de dezembro de 2021

PROJETO ARTE POPULAR - HISTÓRIAS DO OLHO D'ÁGUA SÃO JOÃO MARIA - Celso Parubocz



Projeto Cultural para difundir a

Cultura Popular de Ponta Grossa

 


Histórias do Olho D’água

São João Maria

Muitos devotos ainda levam seus filhos recém nascidos para “batizar com a água do olho, uma vertente que nunca secou segundo relato de moradores, entre eles a Sr. Palmirinha que morou e cuidou do local durante muitos anos.

Outros levam para casa para benzimentos, para fazer massagens e tomar acreditando nos milagres que a mesma pode fazer.

Muitas fotografias, documentos e agradecimentos sempre são deixados por devotos que passam pelo local após terem suas graças alcançadas.

Muitas esculturas e quadros com imagens de Santos e motivos religiosos são deixados no local, muitos quebrados outros em boas condições, fazendo com que o local tenha sempre suas imagens renovadas para quem gosta de visitar o local e apreciar estes objetos deixados.

“Na minha família, a tradição era de que todos fossem batizados com as águas abençoadas do monge”, relata a fiel Taís Maria Ferreira (51).

 

Seguno Sr. Wilson dos Santos que morou 19 anos no Olho d’água muitas pessoas também levam o barro que é retirado ao lado da bica e usam para passar nas feridas como cicatrizante.

 

Antigamente, usava-se a água não só para limpar a casa e purificá-la de coisas ruins, mas também para beber. Uma forma de benzer o corpo contra os maus espíritos”, explica o aposentado Artur Tamenhainn, de 83 anos.





























De acordo com pesquisa realizada pelos professores Karina Janz Woitowicz e Sérgio Luiz Gadini, São João Maria percorreu a Região Sul do país dentre os períodos da Guerra do Contestado, Guerra dos Farrapos e Revolução Federalista e parou em Ponta Grossa em algum momento da história, onde nasceu o Olho d'Água que leva o seu nome.



Muitas placas de agradecimento por graças alcançadas no local.












Rio Pilão de Pedra que passa ao lado, degradado pela poluição e 
esgoto que vem do centro da Cidade.






RELATÓRIO DO PROJETO

HISTÓRIAS DO OLHOS D’ÁGUA SÃO JOÃO MARIA

 - Cronograma das atividades realizadas;

Data

Atividade

 

20/11

Resultado

 

 

21/11

Visita ao local

Fotografia

 

22/11

Visita ao local

Entrevistas

 

23/11

Visita ao local

Entrevistas

 

24/11

Organização do projeto

Seleção das fotos

 

25/11

Organização do projeto

Pesquisa de textos já existentes

 

26/11

Organização do projeto

Estruturação do projeto

 

27/11

Organização do projeto

Estruturação do projeto

 

28/11

Organização do projeto

Estruturação do projeto

 

29/11

Organização do projeto

Estruturação do projeto

 

30/11

Termino da montagem

Finalização para entrega

 

MÊS 12

DIVULGAÇÃO SITE

ARTEPG.COM.BR

 

 

 Projeto será divulgado nas redes sociais durante o mês de dezembro através do  site www.artepg.com.br 

Parabéns a Fundação Municipal de Cultura pelos editais, este sobre a Cultura Popular principalmente pois mantém viva a memória de muitos locais, pessoas e fatos que marcam a nossa história, apesar do pouco tempo, foi possível me organizar e fazer as visitas o local, pesquisar textos na internet e terminar o projeto.

A pesquisa do projeto foi feita com entrevistas de pessoas que visitavam o local, de antigos moradores do local e arredores, através de sites na internet, pesquisas da UEPG Universidade Estadual de Ponta Grossa, de matérias sobre o assunto em jornais e revistas.

As fotografias são de autoria do Artista e Organizador deste projeto Celso Parubocz.

Aceitação do público -  

No começo da pesquisa no local as pessoas procuram se esquivar, depois de mostrar a importância de manter a Cultura Popular” viva para que não perder a história do local, acabam aceitando conversar.

Dificuldades -

Durante a semana e a noite o local fica vazio e é frequentado por andarilhos e usuários de drogas, segundo moradores locais.

 Pontos positivos e negativos -

O pouco tempo para aprimorar a pesquisa foi um dos pontos negativos, também o abandono e falta de segurança no local que acaba atraindo vândalos ao local.

Sugestões –

Investir na estrutura do local e divulgar mais o local para fomentar o turismo religioso.

Reunir os organizadores deste projeto em um local amplo (Centro de Cultura ou Ópera) para apresentarem o projeto e discutir novas realizações.

Divulgar os editais com mais tempo para realização dos projetos.

 

Celso Parubocz Organizador do Projeto

Fone 99962 5952 – cparubocz@gmail.com.br.


Oração de São João Maria Vianney

 

Senhor, dai-me a graça de sofrer amando-Vos, de Vos amar sofrendo, e de um dia expirar amando-Vos e sentindo que Vos amo.

Eu Vos amo, Deus infinitamente bom,
e mais quero morrer amando-Vos
do que viver um só instante sem Vos amar.

Eu Vos amo, meu Deus,
e só desejo o Céu para ter a felicidade
de Vos amar perfeitamente.

Eu Vos amo, meu Deus,
e só temo o inferno porque lá nunca haverá
a doce consolação de Vos amar.

Meu Deus,
se a minha língua não puder estar sempre
a dizer que Vos amo,
que o meu coração o diga tantas vezes
como quantas eu respiro.

Senhor, dai-me a graça de sofrer amando-Vos,
de Vos amar sofrendo,
e de um dia expirar amando-Vos
e sentindo que Vos amo.

E quanto mais me aproximo do meu fim,
mais Vos imploro a graça
de aumentar e aperfeiçoar o meu amor.

Amém.